Archive

Posts Tagged ‘virtualização’

Um repositório para o VirtualBox


Tempos atrás, escrevi um post sobre o uso do VirtualBox no Fedora. No entanto, o que eu não havia percebido (por preguiça de usar o scroll  do mouse, talvez) é que ao invés de você ter de fazer diretamente o download do rpm para o Fedora, você pode adicionar um repositório para o mesmo. Esse repositório está disponível para o Fedora 8 em diante.

Antes de mais nada, queria dizer que uma versão Open Source existe no RPMFusion e você pode instalar ela via yum sem problemas. Basta fazer

# yum install VirtualBox-OSE

Mas você terá de instalar também os módulos para o seu kernel e outras coisas mais que queira. Dê uma pesquisada com

# yum search VirtualBox

para ver isso.

Mas eu mesmo prefiro uma outra versão, devido a pequenos detalhes que para mim são importantes.

Para instalar esse repositório, é bem simples. Importe a chave pública com o comando:

# rpm --import http://download.virtualbox.org/virtualbox/debian/sun_vbox.asc

Depois disso, crie o arquivo virtualbox.repo dentro do diretório /etc/yum.repos.d e adicione o seguinte conteúdo a ele:

[virtualbox]
name=Fedora $releasever - $basearch - VirtualBox
baseurl=http://download.virtualbox.org/virtualbox/rpm/fedora/$releasever/$basearch
enabled=1
gpgcheck=1
gpgkey=1

Salve o arquivo e pronto! Agora você pode simplesmente instalar o seu VirtualBox sem problemas:

# yum install VirtualBox

Depois (re)compile os módulos para seu kernel:

# /etc/init.d/vboxdrv setup

Se você tiver algum problema, dê uma lida no post anterior.

—————–

Fonte: www.virtualbox.org

Migrando para o Pinguim: Virtualizando…


No terceiro artigo da série migrando para o Pinguim, vou tratar de um recurso que pode ser útil para qualquer usuário que queira conhecer outros sistemas operacionais: A virtualização. Caso você não tenha lido os posts anteriores, o link para o primeiro está aqui e o link para o segundo está aqui.

Eu havia falado sobre virtualização nesse post aqui, mas tratei especificamente de como deixar as coisas funcionando no Fedora e também não tratei da utilização desse software.  Neste artigo, iremos instalar e configurar o VirtualBox no Windows.

A utilização do VirtualBox não é necessária para instalar o Linux. Sua necessidade vem do fato de o leitor querer conhecer outros sistemas operacionais e não querer modificar nada no seu HD no momento ou por não ter certeza  ou por qualquer outro motivo. Nesse caso, iremos criar um HD Virtual e será nele que ocorrerá todas as modificações, o processo de instalação e tudo mais. Na verdade, o HD virtual é apenas um arquivo dentro do seu computador, de modo que você não precisará ter medo de errar. No máximo, terá apenas que começar tudo novamente. Nos próximos posts, irei tratar do particionamento de disco rígido e da instalação como se você estivesse fazendo isso no seu HD real, mas isso se aplica igualmente ao seu HD Virtual, sem o menor problema. Depois que instalar, testar e se sentir seguro e conhecer um pouco o Pinguim, instale-o no seu HD de verdade. Se você tem interesse em instalar ele diretamente no seu HD, não se preocupe, apenas esqueça que esse post existe e espere os próximos. 🙂

Instalação

Você pode baixar a última versão do VirtualBox no site do mesmo. Vá em www.virtualbox.org e na seção de downloads, escolha a versão do VirtualBox para o Windows e baixe para o seu PC. Instale como qualquer outro Software, sem desmarcar as opções que lhem forem apresentadas. Quando aparecer essa tela

Clique em em “yes” e pode ser que você seja desconectado da internet, mas nada de medo. Caso haja algum problema, reinicie seu PC após a instalação. No momento que em fiz a instalação do VirtualBox, não sei por qual motivo, o XP sempre emitia um aviso semelhante a esse:

Clique em “Continuar assim mesmo” no momento em que esse avisos aparecerem e espere o final da instalação. Depois de instalado, inicie o VirtualBox. Um diálogo de registro será exibido. Tire alguns minutos e faça-o 🙂

Bom, agora você tem o VirtualBox instalado no seu PC:

Vamos criar uma nova Máquina Virtual que permitirá a instalação de um sistema operacional nela. Clique em Novo e um assistente para a criação de uma máquina virtual será exibido.

Clique em próximo:

Escolha um nome para a Máquina e não se preocupe com o tipo de sistema. Clique em Próximo:


Nesta parte, você selecionará a quantidade de memória RAM para a máquina. Se você tem muita memória no seu PC, selecione um valor razoável. Digamos, 512MB e depois clique em Próximo:

Como não temos ainda um disco rígido, vamos deixar a opção como está e criar um. Clique em Próximo:


O Assistente para a criação de um novo disco rígido aparece. Clique em Próximo:

Deixe como “Armazemento dinâmicamente expansível” e clique em Próximo:


Neste ponto, eu daria a sugestão de você escolher um local apropriado para onde será salvo seu HD Virtual. Em Localização, clique no ícone ao lado do campo e escolha um local apropriado para a sua máquina. Será salvo um arquivo com extensão .vdi e ele será seu HD virtual. Depois escolha um valor razoável para o tamanho do seu HD, de acordo com o que você quer instalar e tudo mais. Na figura, escolhi 25GB, mas você pode escolher uns 50GB ou 80GB. É claro que existe a limitação da quantidade de espaço que vocÊ tem no seu HD real. Não se preocupe, se você escolheu a opção Armazenamento dinamicamente expansível anteriormente, a máquina irá usar apenas o que for necessário e irá crescer e ter no máximo o tamanho que você escolheu aí caso você instale programas e tudo mais no sistema operacional que instalar. Clique em Próximo e depois em Finalizar. O disco será criado no local onde você indicou e depois clique em Finalizar novamente

Parabéns! A sua maquina foi criada! Agora precisamos apenas fazer algumas configurações para deixar tudo funcionando legal. Selecione a Máquina criada e clique em Configurações. Vá em CD/DVD-ROM e habilite a opção Montar Drive de CD/DVD. Isso permitirá usar o CD de instalação. Depois, em Tela, se você tiver uma boa quantidade de memória, aumente o valor da memória de video para um valor considerável. Digamos, 32 ou 64MB. Clique em OK.

Se você tiver com um CD de instalação do XP mesmo, pode fazer um teste agora. Insira-o no drive de CD e cancele, caso apareça alguma opção do Windows. Selecione  novamente a máquina  e clique em Iniciar e caso você tenha feito tudo certinho você verá aparecer o programa de instalação do Windows:

Pronto para instalar! A máquina é capaz de capturar o seu teclado e cursor do seu mouse se você clicar em cima dela. Para voltar ao normal, apenas utilize a tecla CTRL direta. 🙂

No próximo artigo, irei tratar de um método particionamento do disco rígido usando o próprio CD do XP. Para tanto, irei considerar que você quer, além de instalar o Linux, fazer uma nova instalação do Windows XP também.  Iremos então fazer essa instalação deixando um espaço para depois instalar o Linux nela. O outro método, que será tratado em um post depois desse primeiro método, irá considerar que você não quer reinstalar o XP e então você poderá redimensionar o seu disco e liberar espaço para conseguirmos instalar o Linux nela.

Quarta post da série: Migrando para o Pinguim: Humor