Início > Distribuições, fedora, Iniciantes, Linux, migração, Software Livre > Migrando para o Pinguim: Instalação do Fedora, os finalmentes!

Migrando para o Pinguim: Instalação do Fedora, os finalmentes!


Primeiro post da série Segundo post Terceiro post Quarto post Quinto Post Sexto Post Sétimo Post Oitavo Post

——————————————–

Vamos finalmente abordar a instalação do Fedora nesse artigo.  Estou supondo que você tenha particionado seu HD conforme os artigos anteriores e já tenha em mãos o DVD de instalação do Fedora. Nesse artigo, irei usar o Fedora 12 como exemplo para a instalação, mas é muito provável que você consiga instalar o Fedora 13, 14, 15… N (quando for lançado) sem qualquer problema, já que o programa instalador do Fedora, chamado Anaconda, segue uma mesma lógica para a instalação e poucas mudanças existem nisso de uma versão para outra.

Novamente, por segurança, faça backup de todos os dados no seu PC e salve em outro lugar. Nunca se sabe se podemos escolher uma opção errada e apagar tudo que está no HD. Já pensou perder todas as suas músicas ou aquele arquivo que você estava a semanas/meses trabalhando? Pois é, faça o backup por segurança. O Fedora não deverá apagar nada se você  fizer tudo como manda o figurino, mas mesmo assim! 🙂

Bom, se você está seguindo essa série, já deve ter sua BIOS configurada de modo a dar boot pelo drive de CD/DVD, bem como já conseguiu um espaço livre para instalar o Fedora no seu HD, da maneira como foi apresentada.  Este artigo supõe que  você tenha feito dessa maneira.

Pois bem,  se o seu PC estiver ligado, coloque o DVD de instalação do Fedora no drive e reinicie. Caso contrário, se estiver desligado, ligue e coloque o DVD antes de aparecer a tela de carregamento do Windows. Assim que a BIOS terminar o POST —- Power On Self Test, um teste que a BIOS faz para verificar a integridade do hardware antes de passar o controle para o sistema operacional —, ela irá verificar em que dispositivo ela deve dar boot primeiro. Como, espero,  seu PC já esteja configurado para dar boot primeiro no drive de CD/DVD, ela irá carregar a partir do DVD de instalação. Mais tarde, quando não tiver DVD nenhum no drive, ela irá procurar pela segunda opção, que é o HD e o Fedora já vai estar instalado nele… 😀

Então vamos lá? A qualquer momento, você pode clicar sobre as imagens para vê-las em tamanho ampliado e com maior nitidez.

Assim que for carregado pelo DVD, você irá encontrar uma tela semelhante a essa:

Algumas opções são mostradas a você. Como queremos fazer uma instalação do Fedora, escolhemos a primeira opção, Install or upgrade an existing system. Se tiver algum problema com sua placa de video que não funcionou corretamente (o que acho difícil) você poderá refazer o processo antes de começar, voltar nessa tela e selecionar a segunda opção, Install system with basic video driver ( dependendo de que estágio você esteja da instalação, bastará um CTRL+ALT+DEL que o PC reinicia, mas tome cuidado com isso.). Escolha a primeira e dê ENTER:

Depois do sistema inicializar algumas coisas, você será levado a  tela acima., onde você é solicitado a fazer um teste para ver se está tudo OK com a mídia.  Só é necessário que se faça esse teste uma vez. Se for a segunda vez que está instalando o Fedora com a mesma mídia, esse teste não é mais necessário e você pode escolher a opção Skip para pular essa parte e ir direto para a instalação. Assim, como acredito que seja a primeira vez que você esteja fazendo isso, escoha a opção OK usando a tecla TAB ou as teclas de seta para a esquerda e seta para a direita para navegar entre as opções e depois dê um ENTER:

Aparecerá a  figura acima. Escolha a opção Test e dê um  ENTER  e a mídia começará a ser verificada, como na imagem abaixo:

Depois de terminado e estando tudo OK com a mídia, você deverá ver essa mensagem:

Dê um ENTER e será exibida a tela abaixo:

Bom, agora não queremos mais realizar teste algum. Então escolha a opção Continue, coloque o DVD de volta na bandeja caso tenha sido ejetado, dê um ENTER novamente e o  Anaconda, o programa de instalação do Fedora,  será iniciado:

Não há nada a ser feito nessa tela. Apenas é a abertura do programa de instalação. Clique em Next:

Essa tela permite que você escolha o idioma que você quer usar durante o processo de instalação e então o Anaconda muda automaticamente para a opção selecionada. Como estamos no Brasil, é provável que você queira que o Português seja utilizado. Assim, escolha a opção Portuguese (Brazilian) (Português (Brasil)) como na figura acima e clique em Next para o idioma mudar automaticamente para o nosso (pode ser que uns pequenos trechos aparecem em inglês, mas não se preocupe, nada de mais.):

Aparecerá a figura acima, onde o Anaconda pede que escolha o layout do teclado que você utiliza.  Escolha então de acordo com o layout do seu teclado. A maioria das pessoas deverá escolher o layout Português Brasileiro (ABNT2) que é o aquele teclado com ‘ç’. No meu caso, escolhi essa opção. Depois disso,  clique em Avançar e o Fedora irá localizar seu HD  e verificar se já existe a instalação de uma versão anterior nele. Caso encontre, a próxima tela será então exibida:

Ele oferece então a opção de atualizar o sistema existente e manter todos os seus dados ou então fazer uma nova instalação. Por experiência, sempre prefiro fazer uma nova instalação porque com a atualização, além de demorar muito mais do que simplesmente instalar os pacotes, ainda não fica 100%. Então, fica a dica para quando você estiver instalando o Fedora 13, 14, 15…: escolha uma nova instalação.

No nosso caso, como estou supondo que é a primeira vez que você instala o Fedora, não deverá aparecer essa tela porque  não há qualquer instalação anterior do mesmo. A tela que será a mesma que apareceria quando você escolhe fazer uma nova instalação na figura acima:

O Anaconda pede que você dê um nome para  seu computador. Se você tem apenas um computador e ele não está em rede, não deve se preocupar com essa opção. Apenas deixe tudo como está e clique em Avançar.  Caso contrário, dê um nome para que seu computador seja identificado na rede mais tarde.

Na tela acima, você poderá ajustar o fuso horário de acordo com a região onde está. Passando o mouse sobre o mapa é possível clicar nos pontos amarelos para que você selecione a sua região. Também é possível se aproximar usando os botões em lupa que aparecem na figura para que fique mais fácil a seleção.  Desmarque a opção O Relógio do sistema utiliza UTC. Essa opção é útil quando se quer alternar entre o horário de verão e o horário normal. No entanto, se o Windows também for instalado no mesmo HD — o que é o nosso caso — essa opção deve ser desmarcada, já que o Windows irá fazer esse ajuste por hardware e o Fedora será afetado por isso.  Mais tarde, quando você se convencer de usar apenas o Fedora em seu HD, poderá habilitar essa opção.  Depois de tudo arrumado, clique em Avançar:

Na figura acima, o Anaconda pede que você digite uma senha para um usuário no sistema que irá usar o nome de usuário (username) ‘root‘. Sabe, o  usuário root (raiz) no sistema é como Deus no mesmo. É semelhante ao  usuário Administrador no Windows. Ele tem privilégios para fazer o que ele quiser. Instalar ou remover programas, mudar configurações que afetem todos os usuários ou até mesmo destruir completamente o sistema se assim o desejar. Por esse motivo, é ALTAMENTE recomendável que você utilize a conta do root apenas quando ela se fizer necessária.   Assim que a instalação terminar, o sistema permitirá que se crie uma conta de usuário comum  e  você deverá fazer o login como esse usuário. E só então se precisar de fazer algo que esse usuário comum não pode é que  você deverá fazer isso como root.  Um usuário comum não pode fazer uma besteira (a não ser no seu próprio espaço), colocar o sistema em risco e ainda, nenhum possível programa mal intencionado que executasse em sua conta poderia afetar todo o sistema. Esse é um dos motivos pelos quais Linux é extremamente seguro.  Você precisará da conta de root mais tarde para poder instalar programas, atualizar o sistema e realizar algumas configurações de acordo com suas necessidades. Mais tarde trataremos mais disso. Selecione uma senha BEM difícil de ser advinhada, confirme guarde com você (e vê se não vai esquecer!) e então clique em Avançar na figura acima.

Finalmente chegamos na parte que justifica tudo o que fizemos nos artigos anteriores.  A figura acima é a tela que permite você particionar o disco.  Existem, entre outras opções, apagar tudo do HD e instalar com Fedora com um layout padrão, substituir um sistema Linux — não removendo o Windows, mas somente excluindo uma distro Linux e instalando o Fedora. Seria essa a opção a ser escolhida caso quisesse reinstalar o Fedora sem atualizar — e criar novamente o layout padrão, personalizar completamente o layout, reduzir um sistema existente que poderia ser útil para instalar o Fedora redimensionado a partição do Windows, mas não teria uma partição de arquivos — e sempre acho melhor redimensionar de outra forma — e a que nos interessa, Usar espaço Livre. Nesse caso, o Fedora utiliza o espaço não particionado no HD  e cria o layout com todas as partições necessárias para instalar o sistema. Se você redimensionou seu HD de acordo com os antigos anteriores, selecione a opção Usar espaço Livre, desmarque a opção de Criptografar sistema e a de Rever e modificar o layout de particionamento, caso estejam marcadas.

Note que como estou usando apenas um HD no processo de instalação (ATA VBOX HARDDISK), é somente essa opção que tenho em “A partir de qual disco você gostaria de inicializar a instalação?”. Tenha certeza de ter escolhido corretamente a opção de usar o espaço livre porque se assim não for, você corre o risco de que o Anaconda apague TUDO que estiver no seu HD, incluindo o Windows e tudo aquilo que tínhamos feito e  instale somente o Fedora, o que não é a proposta dessa série que quer o Windows e Linux no mesmo HD, em dualboot.

Depois de escolher essas opções, clique em Avançar e uma mensagem de será exibida:

Se  estiver tudo OK, como eu havia dito, clique em Gravar Alterações no Disco e o Anaconda irá exibir algumas mensagens enquanto particiona automáticamente seu HD, usando o espaço não particionado.  Depois de terminado você será levado para  próxima tela onde poderá escolher os pacotes (programas) que quer instalar no seu sistema:

Você pode apenas deixar a opção Escritório e Produtividade marcada e clicar em Avançar para deixar que o Anaconda use alguns pacotes padrão e instale pra você. No entanto, acho essa solução muito pobre e sempre gosto de personalizar com os pacotes que quero que sejam instalados no meu sistema, apesar de eu poder instalar eles mais tarde. Então, para fazer isso, não mexa em nada e apenas selecione a opção Customize Now (Personalizar agora) e clique em Avançar para poder escolher os pacotes que quer instalar no seu sistema:

O Anaconda irá te apresentar vários pacotes que você pode selecionar. Por exemplo, em Ambientes de Trabalho você poderá escolher qual o ambiente de trabalho que quer utilizar dentro as duas opções existentes , KDE e GNOME. (mais tarde você pode instalar outros).  Nesse ponto, talvez você não esteja compreendendo o que é isso. Bom, em Linux você tem a opção de escolher vários ambientes, com suas aparências, conjunto de programas e configurações específicas. Por exemplo, no Windows, você tem o Explorer que tem suas pastas, ícones etc. E só ele. No Linux você tem várias opções que você pode escolher. Se quer saber mais sobre isso, talvez esse artigo te ajude. A escolha de um ambiente é algo pessoal. Eu, por exemplo, adoro o GNOME. Mas você pode instalar o dois no seu HD. Vamos fazer isso? Depois mais tarde, você pode escolher qual quer usar na tela de login de sistema, mas irei tratar das configurações do pós instalação usando o GNOME. Mas nada impede que você use o KDE para fazer essas configurações. Selecione então Ambiente de Trabalho KDE e Ambiente de Trabalho GNOME. Note que existe a opção Optional packages (Pacotes opcionais) na figura acima. Selecionando um pacote e clicando nessa opção você poderá selecionar mais alguns pacotes que podem te interessar. Apenas não desmarque os que já estão marcados, se não souber para que ele serve. Vamos ver alguns exemplos na próxima opção, Aplicações:

Essa opção e as demais, permitem que você escolha outros pacotes que você queira que sejam instalados com o sistema. Note que você pode selecionar, por exemplo, Som e Video, como na figura acima e então clicar em Optional Packages para escolher os pacotes a mais que quer que sejam instalados( vá também em Sistema Básico e em Acesso a Rede dial up marque o pacote rp-pppoe para a instalação caso não esteja). Apenas não desmarque os pacotes que já estejam marcados e nem as opções que já estejam marcadas por padrão, a menos que saiba o que está fazendo, como eu disse. Uma pequena descrição é mostrada ao lado do nome cada pacote quando você clica em pacotes adicionais, veja:

o Amarok — que eu recomendo que você marque para a instalação., se já não estiver. Na minha opinião é o melhor player de música do planeta! —  por exemplo, é um media player e o Brasero é um programa, estilo Nero para  a gravação de CDs e DVDs. Existe também o K3b que faz isso.  Navegue pelos menus e veja alguns programas que poderiam te interessar. Também existem  pacotes de idiomas para aqueles que gostariam de ter o sistema em mais idiomas, além de pacotes com mais fontes disponíveis. Marque-as para a instalação se assim o desejar. Depois que terminar tudo, clique em Avançar e o Anaconda irá verificar as dependências desses pacotes e o processo de instalação dos pacotes no HD terá início:

Não há nada para ser feito aqui a não ser esperar até que todos os pacotes sejam instalados. O tempo de instalação vai depender do número de pacotes a serem instalados, bem como da velocidade do seu PC.  Não estranhe se o Anaconda chegar em um pacote e demorar para instalar ele. Em alguns casos isso pode demorar uns minutos mesmo.  🙂

Depois quer terminar a instalação dos pacotes, será exibida a tela abaixo:

Parabéns! Seu Fedora foi instalado! Mais tarde precisaremos atualizar ele como dito na figura acima, mas tratarei da atualizaçao e instalaçao de codecs, Java, plugin do flash etc no proximo artigo. No momento, clique em Reinicializar e assim que o PC reiniciar, retire o DVD de instalaçao do Fedora da bandeja para que a BIOS nao de boot nele de novo.

Fique esperto. Assim que o sistema reiniciar aparecerá uma tela parecida com essa (esse gerenciador é chamado de GRUB):

Pois bem, eu não sei que foi o espertinho, mas aparece uma mensagem logo acima dizendo Press any key to enter the menu (Pressione qualquer tecla para entrar no menu) e um temporizador que espera por 5 segundos e caso você não pressione nada, ele dá boot no Fedora. Assim, quando aparecer essa tela, pressione qualquer tecla e o menu irá aparecer:

Esse menu permite que você escolha entre o Fedora ou o Windows na hora do boot. A primeira opção, Fedora (2.6.31.5-127.fc12.i686) se refere ao Fedora (esse número é a versão do kernel que o sistema está usando. Conforme atualizações de kernel surgirem mais pra frente, isso mudará) e a segunda opção, Other, se refere a outra sistema operacional que esteja instalado no sistema. No caso, o Windows. Selecione  para dar boot no Fedora e dê um ENTER. Mais tarde você pode ir pro Windows. 🙂

Como é a primeira vez que o Fedora está sendo carregado, você ainda deverá ainda fazer algumas coisas e então depois poder utilizá-lo:

É apenas uma tela de Boas  Vindas. Clique em Avançar:

São as informações de liceça dizendo que os pacotes presentes no Fedora está licenciado sob os termos da GPL. Clique em Avançar:

Lembra que eu havia falado sobre criar uma conta de usuário comum? Pois bem, é aqui que se faz. Entre com um nome de usuário (username) na tela acima (eu gosto sempre de usar tudo em minúsculo e simples.)  e depois entre com uma senha para esse usuário e confirme. Você fará o login o Fedora com esse usuário e o root, apenas quando precisar. Depois que terminar, clique em Avançar:

Provavelmente você não precisará configurar a data e hora aqui e estará tudo certo. Mesmo que não esteja, opte por ajustar a hora pelo Windows mais tarde que isso irá afetar o Fedora também. O problema de ajustar pelo Fedora é que o Windows pode atrapalhar tudo depois. Então faça por ele que fica tudo certo. Clique em Avançar

Se você usa internet compartilhada entre computadores, com um roteador e coisa do tipo, provavelmente não precisará de qualquer configuração no Fedora para conseguir se conectar a internet. Nesse caso, poderia enviar seu perfil de hardware para os desenvolvedores e ajudar no Projeto Fedora. Escolha sua opção e clique em Concluir:

Parabéns! Você está na tela de login do Fedora.  Clique sobre o seu nome e no painel abaixo irá aparecer algumas opções de idioma e teclado que você gostaria de utilizar. Provavelmente você não irá querer mexer nisso, já que ajustou tudo isso pela instalação do Fedora. Também deverá aparecer algumas opções sobre qual gerenciador de janelas você  gostaria de usar, GNOME ou KDE. Se você não disser nada, será usado o GNOME. Mais tarde, quando for fazer login poderá escolher o KDE. Será necessário escolher apenas uma vez. Nas outras vezes, o sistema “lembra” a sua opção e carrega o gerenciador que você escolheu na última.

Pois bem, entre com sua senha e…

Mas que beleza! O Fedora está instalado no seu PC! 😀 Na tela acima estou usando o GNOME.

No próximo post irei tratar de conexão com a internet, atualizações do sistema e instalação de codecs que permitirão a você ver qualquer formato de video e também os codecs para poder ouvir formatos como mp3, wma, etc que não vem com o Fedora pelo fato de serem proprietários. Mais pra frente iremos também mudar o tempo  que aparece no GRUB de 5 para 10 segundos pelo menos e fazer o menu aparecer direto sem ter de ficar teclando nada. Mais do que isso, poderemos também mudar a tela de login e deixá-la mais bonitinha, além de poder mudar os temas no Fedora também e, quem sabe, deixar como esse:

Hehe, é a minha área de trabalho depois de eu ter dado uma personalizada.

Se você quiser ver se o seu Windows está lá também, reinicie o PC indo em Sistema > Desligar… > Reiniciar e escolha a opção Other na tela de menu do GRUB e dê um ENTER.

No próximo artigo iremos então melhorar o Fedora atualizando para pacotes ainda mais recentes e inserir um suporte maior a formatos de arquivos multimídia que, infelizmente, não podem vir no DVD (se fossem abertos.. todos os formatos abertos de multimídia vem com suporte no Fedora,  mas as pessoas insistem em usar formatos proprietários!)

Próximo post: Migrando para o Pinguim:  Atualizando o sistema, instalando o flash, Java  e outras coisas mais

Anúncios
  1. 29/11/2009 às 11:27

    Caraca! Post Gigante mesmo.
    Ótimo para os iniciantes Elder, esse seu trabalho de divulgação está muito bom. Continua.
    Como eu te falei, seu eu mudar de distro, vai ser para o fedora.

    Sobre a questão que você falou no final, eu já pensei em adotar formatos de arquivos multmídia livres, mas o negócio é que não existem bons players no mercado com suporte a eses formatos. Quando isso mudar, certamente vou adotar formatos livres.

    • 29/11/2009 às 12:06

      Rapaz, agora que o meu PC roda apenas Linux, estou pensando em converter toda a minha biblioteca para o formato ogg em vez de deixar como mp3. Bom, o Amarok deve tocar sem qualquer problema. A minha preocupação agora é se durante a conversão, serão mantidos todos os metadados das músicas porque eu passei muuuiito tempo editando cada uma delas para deixar organizado! 😀

  2. marcelo
    01/12/2009 às 16:25

    Poxa cara, vc tá de parabéns !!! Sou iniciante no mundo Linux e o meu note veio com o Librix instalado, mas não falam muito bem dele. Estou querendo instalar o FEDORA e pelo visto vejo que não terei problemas. Cheguei a colocar um post no forum, perguntando sobre a instalçao, mas depois dessa explicação, qualquer um pode fazê-lo. Vou esperar pela explicação sobre a instalação de codecs, pois como disse, não entendo nada de Linux. Acho que sem eles não poderei ouvir e assistir alguns formatos, né ?

    Valeu cara…um abração pra ti…

    • 02/12/2009 às 9:09

      Rapaz, fico feliz que tenha escolhido o Fedora. Espero que essa série possa te ajudar a ter ele instalado no seu PC. Mais do que isso, espero que você tenha uma excelente experiência com o Linux e considere a migração para esse excelente sistema operacional 🙂

  3. Emerson
    13/07/2010 às 15:09

    Boa tarde!

    Muito bom mesmo está documentação. Porém gostaria de perguntar?

    Caso eu esteja tentando atualizar o Fedora Core 5 para o 13, realmente não irá aparecer a tela de atualização, apenas a tela de uma nova instalação?

    Imagino que é porque a Distro está muito antiga.

    Gostaria que muito que pudesse me responder.

    Att,

    Emerson

    • 13/07/2010 às 17:57

      Rapaz, não saberia te informar se nesse caso aparece essa opção, só dando boot mesmo pelo DVD e vendo se ele a fornece pra você, já que sua versão do fedora é bem antiga mesmo.
      No entanto, devo lhe dizer que a atualização do sistema, até mesmo de uma versão para outra é algo que não gosto muito de fazer. Certa vez o fiz e, além de demorar muuuiiito mais tempo do que uma instalação limpa, ainda não parecia ter ficado perfeito. No seu caso, ainda está utilizando uma versão bastante antiga do fedora e te daria a sugestão de baixar o LiveCD/DVD e fazer uma nova instalação em vez de tentar atualizar. Será menos dor de cabeça no futuro. Você pdoeria particionar seu HD e deixar uma partição somente para o HOME dos usuários e outras que você não iria querer excluir e assim não ter de perder configurações e arquivos quando reinstala o sistema. Mas isso não elimina a necessidade de backup, que fique claro.

  1. 02/12/2009 às 10:09

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: